sábado, abril 19, 2008

Conselhos a um Dominante

Abril 15, 2008 por Vanderdecken

"1. Não nasceste Senhor. Tens que o merecer.
2. Mesmo que já mereças ser Senhor, isto não quer dizer que mereças a tua escrava. Nenhum Senhor merece a sua escrava. Se ela se entregou a ti, foi pura dádiva.
3. A tua escrava deu-te tudo sem te pedir nada em troca. Mas mesmo sem ela te pedir, há uma coisa que tens que lhe dar: razão para confiar em ti.
4. Se a tua escrava não se deixa amarrar, o defeito não é dela: é teu.
5. Tens o direito de ser cruel; tens o direito de ser caprichoso; tens o direito e o dever de ser firme e exigente; mas não tens o direito de não respeitar a mulher que se entregou a ti.
6. A tua escrava já existia antes de se entregar a ti. Tem uma história, um passado e uma personalidade e não há outra pessoa no mundo igual a ela. Não é uma boneca de plástico que possas moldar às tuas fantasias pré-concebidas. Podes subjugá-la; podes e deves educá-la ao teu gosto e para o teu prazer; mas tens de construir sobre o que ela já é. A isto chama-se respeito.
7. Quem dá as ordens és tu. Quando dás uma ordem, é para ser obedecido. Por isso pensa bem antes de ordenares seja o que for.
8. Se mostrar-te indiferente à tua escrava te der prazer ou te parecer necessário, podes desempenhar esse papel; mas nunca lhe sejas indiferente na realidade.
9. Estuda a tua escrava com tanta atenção como ela te estuda a ti. Ou ainda com mais.
10. Não confundas prazer com felicidade. Tens o direito de exigir à tua escrava que te dê prazer, muitas vezes sem receber nenhum em troca; mas tens sempre o dever de a fazer feliz.
11. Uma escrava não tem direito ao prazer. Ela própria será a primeira a dizer-te isto. Mas uma mulher é um ser tão subtil e tão complexo que às vezes pode ter prazer em não ter prazer… Respeita-a também por isto, porque se trata de alturas a que nunca subirás. Por isso, proibe o orgasmo à tua escrava, se quiseres, ao mesmo tempo que fazes tudo para lho provocar; ou, pelo contrário, ordena-lhe que tenha um orgasmo enquanto te serves dela sem quaisquer preliminares e sem a menor carícia; em ambos os casos é possível que lhe dês um prazer que está para lá da tua compreensão.
12. Faz com que a tua escrava cresça. Se a fizeres diminuir, diminuirás tu ainda mais, e acabarás por não ser digno de lhe beijar os pés."


(Publicado no Blogger a 20/07/06)

2 comentários:

Vanderdecken disse...

Querida Eva, obrigado por transcreveres este meu texto e pelas visitas que tens feito aos meus blogs. Fico contente por teres voltado, já que és uma das presenças incontornáveis neste nosso mundo de sonhadores insatisfeitos.
Beijo fundo

JoaoDeAviz disse...

É sempre bom relembrar o que nos norteia