quinta-feira, abril 24, 2008

Bem, também vou de fim-de-semana, com o meu Dono a chegar para me mostrar novos mundos e novas sensações...
Nem me lembro que é 25 de Abril e se calhar até queria esquecer, mas talvez um dia fale disso aqui com mais pormenor.
Fica um abraço para toda esta família que aqui vem e que sejam felizes a todos os minutos - menos os que nao merecem - eheheheh
Bom fim-semana - com ou sem BDSM.

2 comentários:

Exiona disse...

Have a really nice weekend.

DOMINADOR1960 disse...

Desejo a ambos um excelente Fim-de Semana, pleno de BDSM, de entrega e Compreensão. A Paixão, eu sei que está lá em toda a sua plenitude.
Um simples desejo apenas. sejam quais forem os motivos penosos, que a data 25 de Abril lhe trás, nunca esqueça, o simbolismo dessa data. Tudo aquilo que ela representa para todos aqueles, que como eu viveram antes, vivem depois , mas não se esquecem do que ela nos trouxe.
Sem 25 de Abril, não existiria este Blogue. Mas tb não existiria tanta outra coisa. Não foi perfeito, aliás nada feito pelos Homens é perfeito...mas foi o que se pode arranjar, com os meios e a Coragem e determinação de uns quantos, agora já votados ao ostracismo e esquecimento.
Relembro com saudade, Salgueiro Maia. Quanta vontade indómita de "mudar o sistema"....Quantos pereceram para que tal fosse possível...Enfim...São recordações, que não deixo que escapem da minha memória...(pelo menos enquanto o Alzheimmer deixar)...e que estarão perenes nos meus sentimentos.

" Eu sou Português aqui,
em terra e fome talhado
feito de barro e carvão
rasgado pelo vento norte
amante certo da morte
no silêncio da agressão.

Eu sou Português, aqui
mas nascido deste lado
do lado de cá da Vida
do lado do sofrimento
da miséria repetida
do pé descalço
do vento.

Nasci deste lado da cidade
nesta margem
no meio da tempestade
durante o reino do medo.
Sempre a apostar na viagem
quando os frutos amargavam
e o luar sabia a azedo.

Eu sou Português aqui
no teatro mentiroso
mas afinal verdadeiro
na finta fácil
no gozo
no sorriso doloroso
no gingar dum marinheiro.

Nasci deste lado da ternura
do coração esfarrapado
eu sou filho da aventura
da anedota
do acaso
campeão do improviso
trago as mãos sujas de sangue
que empapa a terra que piso...

........."

Permita-me recordar aqui, (parcialmente) José Fanha.

E renovando mais uma vez os votos de um Fim-de-Semana, deslumbrante, peço que me perdoe, este preito, de um Nobre Lusitano, a quem a Liberdade nos deu por herança.
Queria ter a certeza, que tais valores pudessem prevalecer em meus Filhos e nos demais jovens, mas duvido.
Um ABRAÇO a João, e um beijo para si.