terça-feira, agosto 14, 2007

"Há pessoas que não têm nome e há outras que não precisam de nome.
Há gente que sonha e não vive e outra espécie de gente que vive para sonhar; também há gente que não se enquadra em nenhuma dessas categorias e a quem chamam inadaptados.
De vez em quando, muito raramente, há gente que procura gente com toda a força do verbo querer, e há outro género de gente que quer ser procurada. Os que não fazem nem sofrem uma das duas coisas, são os que morrem em vida e rastejam até ao fim, tapados por uma capa de muitas cores e nomes…
E ainda mais raramente, uns e outros encontram-se e a Terra gira como no romance de Hemingway, e é o prazer supremo, ou o Nirvana, ou qualquer outra porcaria que lhe queiram chamar. E entre nomes e definições, a verdade é que o Mundo continua a ser Mundo e as pessoas, pessoas; a verdade é que uns continuam a procurar e outros a ser procurados; a verdade é que alguns precisam de saber…"

"A Maçã de Eva"

3 comentários:

Lilith disse...

O teu texto fez-me pensar que talvez gostasses de comentar o meu "Quem de entre nós".*

Metamorphosis disse...

Como sempre foi, é e será, nada muda, continuará a haver de tudo, quem viva na plenitude do seu sentir e quem se limite a existir controlado por todos os seus medos. Há quem sonhe sempre mesmo que todos os dias caia no chão magoado e há quem não se atreva a sonhar com o medo dessa mágoa., vivendo assim uma mágoa maior... e o tudo continua e continua...

Beijinhos:)

Anónimo disse...

a grande riqueza da humanidade e exatamente a completa diversidade de tipos de pessoas que dela fazem parte.Onde os contrarios se completam e fazem um so. Gostei.
JoaoDeAviz