domingo, outubro 30, 2005

A Amizade... A Falta Dela!

Faz hoje seis meses que tive de abater a minha cadela. Que perdi alguem que me deu lições de vida todos os dias nos 12 anos que passou comigo. Era como minha filha, e só me dava um olhar de frente quando a chamava, enquanto abanava o rabo... Tinha olhos castanhos/mel e era preta. E é o mais parecido com um filho que voltarei a ter.
Sei que nem todos terão sensibilidade para entender esta minha analogia -que me perdoem!... Foi o único cão que tive na minha vida e que provavelmente vou ter, e senti a sua passagem por mim como um bebé que ajudei a crescer até ao dia em que morreu. No meu caso, tive de a matar, porque sofria! Faria de novo o mesmo. E sofreria de novo o mesmo.
Seis meses depois, faz-me falta como ninguem pode imaginar e a dor é maior e a saudade enorme. Quando eu estava feliz ela brincava comigo e fazia-me sentir realizada porque eu tinha-a feito um cão feliz...
Quando eu quase desisti, em tempos, ela não deixou: se eu nao comia ela nao comia, se eu estava triste ela nao brincava, se eu chorava ela gania comigo, a dar-me cabeçadas nas pernas, se me isolava nao se calava a ladrar até eu a levar à rua, e por aí fora!!!! Um verdadeiro amigo, que não adormece quando ficamos triste, antes nos mantém acordados com ele.

Tenho tido um ano de perdas graves.
Tenho tido meses de angústia profunda a tentar entender a maldade do Homem, a indiferença com que anda no Mundo, a tentar arranjar sentido na minha cabeça e coração sobre coisas que me ultrapassam.
Trouxeram-me de Londres algo k diz: "Família são os amigos que escolhemos para nós próprios!" - concordo.
A minha cadela escolheu-me como família, nunca fugiu de mim... e senti a morte dela como de família! Sinto todos os dias... Como dos amigos que perco, A, B, C, que me têm dado provas que para amigo lhes serve qualquer um.

Talvez seja um facto k não sei gerir a Amizade, porque como dou tudo, quero tudo também. Mas não engano ninguém; pelo contrário, acusam-me de falar demais e confiar demais sempre... É um facto e não vou mudar! Vou morrer assim, como outros morrem a ser desconfiados a vida toda. Gosto de pensar que fiz escolhas certa na Amizade ao longo da vida. Mas ultimamente não sobra nada para eu avaliar - tornei-me mais céptica e a Amizade já não é o que era. Ressalva feita aos amigos k mantenho à vinte anos e já me salvaram muitas vezes, o paralelo que me permite avaliar... comparar!

A minha vida tem estado embrulhada e já carpi aqui muitas vezes no ultimo ano; nao tenho vinte anos e cada vez custa mais a recomeçar. Palhaços esquecem-se depressa, mas gente a quem demos algo que nos era dificil dar ou inpensável entregar, não é assim tão fácil.
Nao me armo em coitadinha porque nunca fui. Se alguém precisar de força, eu nao falho e viro o mundo do avesso... Mas as vezes tenho pena de que se desperdice a vida com tanta ninharia, e nao se acalentem os Amigos devidamente. Claro k já falhei muitas vezes e paguei o preço. Claro k não sou a melhor do bairro, mas sei k nao é porque nao tente estar a altura.

Não sou orgulhosa e se me dispo aqui, por ex., é porque nao tenho medo da pena; se conseguir que alguem fique solidário com a minha tristeza, que a entenda ou a tente sofrer comigo, para mim isso não é pena. É apenas uma alma grande, receptiva, gente com capacidade para dar...
Julgo que um amigo é isso! Alguém que tem para dar.
Passei metade da minha vida a dar mais do que recebi. De tanto me chamarem a atenção para mudar o meu rumo, acabei por conseguir obrigar-me a pensar em mim. E quando o faço, sou acusada de egocentrismo. Ain´t life funny?

A verdade é que não sei mais como agir no Mundo.
"Que se abra uma fenda no rochedo do Mundo para eu me esconder!"
Já me tentei esconder numa fenda várias vezes, como todos aqui, nem duvido; mas quando o primeiro injustiçado se levanta, levanto-me com ele. Foi sempre assim!
Ultimamente não consigo acreditar.
Todos os dias me fazem uma sangria no crer!
Todos os dias.
Não sei bem porque, nem para que... Mas que ao menos alguém saia bem da chacina k fazem a quem não quer mais do que acreditar em alguém... Que quem passa por cima dos sentimentos e da vontade de acreditar dos outros, saiba que se torna mais pequeno por isso.
Uma vez apenas!
Incondicionalmente...
Alguém que não queira nada de ninguém, só a paz no acreditar; dormir descansado pork sabe que alguem o tirará do hospicio. Porque conhece por dentro alguem, e isso deve ser cuidado como uma honra!
Uma vez... apenas!
Incondicionalmente!

8 comentários:

Cris disse...

Minha querida Eva,já me puz à tua disposição...De qualquer modo publico aqui um texto que espero que tenha impacto no teu coração.Embora não te conheça,desejo-te o melhor que há no mundo.Recebe beijos;Cris
Na hora da fadiga...

Quando o cansaço te procure no serviço do bem,
reflete naqueles irmãos que suspiram pelo mínimo
das facilidades que te enriquecem as anos.

Pondera não apenas nas dificuldades dos que,
ainda em plenitude das forças físicas,
se viram acometidos por lesões cerebrais,
mas também no infortúnio
dos que se acham em processos obsessivos,
vinculados às trevas da delinqüência.

Observa não somente a tortura dos paralíticos,
reclusos em leitos de provação,
mas igualmente a dor dos que
não souberam entender a função educativa
das lutas terrestres e caminham,
estrada afora de coração enrijecidos na indiferença.

Considera não apenas o suplício
dos que nascem em dolorosa condição de idiotia,
reclamando o recurso alheio
nas menores operações da vida orgânica,
mas também naqueles que,
no fastígio do conforto material,
resvalam em ateísmo e vaidade,
fugindo deliberadamente das realidades do espírito.

Medita não somente na aflição
dos que foram acidentados em desastres terríveis,
mas igualmente na angústia dos que
foram atropelados pela calúnia,
tombando moralmente em revolta e criminalidade
por não saberem assimilar o benefício do sofrimento.

Quando a fadiga te espreite na esfera da ação,
pensa naqueles companheiros,
ilhados em padecimento do corpo e da alma,
a esperarem pelo auxílio,
ainda que ligeiro,
de teu pensamento, de tua palavra, de tua providência,
de tuas mãos...

Se o desânimo te ameaça,
examina se o abatimento não será unicamente
anseio de repousar, antes do tempo.

E se te reconheces conscientemente disposto
de energias por ser útil,
não te confies à inércia ou lamentação.

Por pior que estejas, pense naqueles que dariam tudo,
para estar no teu lugar.

Emmanuel / Chico Xavier

thevanilla disse...

O Mundo às vezes não merece as pessoas que tem...
Não merece a dádiva nem o esforço, não merece a entrega e os sorrisos, mas merece ainda menos as lágrimas.

Mas porque cada um de nós merece a esperança de encontrar lugares e momentos especiais, repetimos os erros, damo-nos, sorrimos, sonhamos. Certos que, por fim, acabaremos a chorar mas sempre na ânsia de, por uma vez, o desfecho ser diferente e, por uma vez, encontrar realmente o nosso lugar.

Na ânsia de que, por uma vez, alguém queira que nós sejamos o seu lugar no Mundo.

Ironicamente, nesta procura colectiva, há demasiados desencontros e por vezes perdemo-nos na estrada, falhamos a saída, viramos à esquerda quando devíamos ter seguido em frente...

É natural.
O Mundo não merece muitas vezes as pessoas que tem.
Mas vale a pena seguir caminho, sem arrepiar qualquer emoção. Mais à frente haverá outra saída para voltar à estrada principal. Com ou sem sofrimento. Mas muito provavelmente com.
Antes sentir a dor de ter tentado do que o vazio da estrada.

Porque o Mundo são as pessoas. E algumas fazem-nos sempre falta.

Como os amigos. Como a Dark. Como tu.
Um beijo.

amor perfeito disse...

Sem prejuizo da oferta da cris sempre e bom ter um animal que faça parte dos nosso dia a dia.
Nao so pela companhia mas pelo espaço de reflexao que sempre nos abre, pela forma que nos mostra a vida, pelo prazer que nos proporciona e sempre pela recepçao nos momentos em que ela se torna em boia de salvaçao.
Um cão é algo que da força a uma bela flor...
E que melhor homenagem a ela que partiu do que um encontrado num qualquer sitio de deposito e com quem se sinta a empatia que so eles nos sabem fazer ter...

Anónimo disse...

viver no país das maravilhas, tem destas contrariedades...

Vanderdecken disse...

É verdade que nenhuma pessoas nos pode dar o que nos pode dar um cão - mas também é verdade, embora muitas vezes não pareça, que um cão não nos pode dar o que pode uma pessoa.
Uma coisa que nem um cão, nem uma pessoa, nos podem dar, é a felicidade. Essa somos nós que temos que a dar a nós próprios. É uma arte que se aprende, mas é longa e difícil de aprender...
Beijos

Anónimo disse...

Desejo

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconsequentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exacta para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.
Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.
Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.
Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.
Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga `Isso é meu`,
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum de seus afectos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar.

Vitor Hugo ( Tradução Brasileira )

É tudo o que te desejo.
Rafael

MissLibido disse...

Há silêncios que dizem mais que mil palavras! Faço amor com as palavras, mas tiro amor dos actos!
E neste momento vou ficar em silêncio...

ML

Anónimo disse...

Só te quero deixar um beijo sem tamanho e dizer o que já sabes..."estou aqui"


Luisa