domingo, fevereiro 20, 2011




 

Ainda estou em jejum.
São quatro e meia da tarde e ainda não comi.

Passei fome de emoções tempo demais, meses, um ano, e carpi lágrimas de fel nos últimos meses, sem qualquer tipo de necessidade - apenas porque alguém decidiu, por falta de coragem, por querer o melhor de vários mundos que, afinal, não são apenas dois.

Mas hoje estou sem comer ainda, por uma boa causa.
Sem lágrimas.
Sem dores por dentro.
Tenho a alma lavada e os olhos brilham e tudo porque me senti livre da mágoa pela primeira vez talvez em mais de um ano; da energia negativa; do esperar os golpes de quem traiu repetidamente e não se podia provar mas eu sentia, cheirava, via no que faltava.

Mas hoje, todo esse cadáver ou esqueleto que me assombrou com grilhetas pesadas e barulhentas e eu olhava numa ombreira de porta a pensar "porquê? porque não se dá?" - ficou esmagado e inerte nos meus espasmos de libertação, esta madrugada.


 
Hoje, é só sobre mim que os olhos brilham.
Sobre mim e quem me ajudou a voltar a caminhar, quem me disse com maciez, esta madrugada, à ponta de um chicote, "solta, solta tudo"...
Hoje não me dói a alma, mas o corpo - que não vale nada, que é só carne para macerar até apodrecer, um dia - como as relações falsas, sem carne à volta dos ossos.
"Solta, solta tudo" - e não gritei nem chorei, espasmei com a mesma garra que tinha, antes de adormecer numa melopeia de anos de fantasias adiadas.


 
Tenho marcas um pouco por todo o lado e ainda nao comi. A casa está desarrumada. Passeei o cão e voltei. Começou a chover lá fora. Recuperei a minha casa. O meu mundo a mim retorna . Os olhos brilham por mim. A alma está lavada.

2 comentários:

Foxy disse...

Acabei de escrever , apenas uma linha, sobre ti, mas uma linha que diz tudo! Todos ficamos contentes por ti!
Todos vimos naquele momento o mesmo, creio, assim o ouvi, "a tua libertação"

Skydomme disse...

se te disser que estou eu achover talvez ao acredites... este mundo ainda me assuta e deixa-me apavorada.
por mais que eu reconheça em mim,o EU proprio,as vezesperco-me,
por mais que me reconheça o valor
sinto-me desvalorizada
tenho medo
e sinto que me temem...porque?
nao ha necessidade de resposta(?) porque sim...
dou hj pormim, em agonia...precisaria eu hoje de cortar a pele a navalha...estou a doer...hj sou eu
...ontem foste tu...
Sim...continua...