terça-feira, setembro 11, 2007

SUBSPACE

"Houve um momento, durante o último encontro com meu Mestre, que tive a sensação que de tudo ficou muito longe. Foi durante um spanking, e só me consigo lembrar que a sensação que tinha era a do toque e não da dor. Não durou muito tempo porque meu Mestre notou que havia algo diferente na minha reacçao e parou imediatamente a cena. Não estava ruim, mas fiquei com a idéia que não poderia reagir, nem que quisesse - o que não foi o caso. Seria isso o tal subspace?"

De acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatística de Doenças Mentais, o DSM-IV (o livro texto que define sintomas, doenças, síndromes psiquiátricas e transtornos psicológicos), a característica essencial dos fenômenos dissociativos é “uma perturbação nas funções habitualmente integradas de consciência, memória, identidade ou percepção do ambiente”.
O fenômeno conhecido como “ subspace” é tb um estado alterado de consciência que varia de pessoa para pessoa, mas mantendo o denominador comum de uma alteração importante na atenção. O/a sub encontra-se imerso/a em sensações de tal monta que o torna desligado de qualquer outra coisa como tempo, ambiente, ou até identidade. Outros desligam-se totalmente, entrando num estado de transe sem consciência de suas ações, experiências e do que lhes cerca. Em ambos os casos fica claro que o subspace pode ser considerado um tipo de fenômeno dissociativo. Entretanto, pelo menos todos nós queremos pensar assim, a natureza da mudança de consciência é diferente daquela relacionada com traumas.

A dissociação traumática é uma reação de defesa, um tipo de fuga de uma situação. Começa como uma reação a eventos insuportáveis mas pode tornar-se algo habitual e ser desencadeado como resposta a um estimulo - o chamado “gatilho emocional” que pode ser algo que simbolize uma experiência traumática no passado. Não é descrito como uma sensaçao agradável, além do que, muito freqüentemente, a pessoa tem uma amnésia em relação ao “gatilho” - e portanto não sabe o que a deixou naquele estado.

Nesse sentido, o subspace, apesar de ser uma reaçao dissociativa, é mais uma resposta à uma estimulaçao intensa e pode estar relacionada, mesmo que parcialmente, a alterações bioquímicas (liberação de endorfinas, por exemplo), desencadeadas por estimulação física e/ou emocional durante uma cena .

É muito importante dar-se conta que a implicação direta dessa situação, por conceito, é que tendo alcançado este estado, a pessoa envolvida não está mais apta para decidir quando parar com a cena (o que não difere do que você mesma se deu conta). O ideal é que situações desse tipo só aconteçam entre parceiros que se conheçam muitíssimo bem, pois só assim poderá haver uma leitura correta da linguagem corporal do parceiro em subspace.

Bibliografia : Manual de Diagnóstico e Estatística de Doenças Mentais
Henkin: Consensual Sadomasochism
Moser : Bound to be freeDissociação (Master Yves)

(*) Se você tem dúvidas sobre este assunto ou sobre outros temas relacionados com a sua saúde sexual, escreva para: mskinky_md@desejosecreto.com.br

2 comentários:

Casa de Ladonia disse...

Excelente matéria. Estou buscando por mais materiais que envolvam este tema e tentando estudar mais sobre o assunto, se conhecer algo, por favor Me informe.
Grato
♠ Lestat D´Ladonia

MissLibido disse...

Obrogada por visitar o meu espaço de divagação :)

Certamente que O avisarei se mais conteudos semelhantes surgirem.

Sugiro que levante a questão no Forum Dominium ou até no chat do Fórum, onde muitas vezes se conseguem boas conclusões e troca de informação :)

Boa semana a ambos

bondarina_MA