sábado, setembro 08, 2007

D.Quixote.
Hoje parecia um D.Quixote.
De manhã vi moínhos brancos e cinzentos no cimo de um monte.
À noite, cavalguei no meu cavalho alado a 160 à hora para chegar mais depressa ao destino que me faz feliz, depois de despachar mil e um compromissos inadiáveis.
Tinha pressa de chegar porque não queria falhar, não posso e não devo.
É minha condição não querer falhar?
É do meu ser precisar de estar à altura e ficar doente se não cumprir?
Que parte de mim é D.Quixote louco e que parte é Sancho Pança realista?
As submissas e escravas também podem sonhar e perseguir os seus sonhos, nem que a 160 à hora?
Eu sei que sim.
E que vale a pena...
Porque sou aquilo que consigo ser e nem um milímetro mais.
Porque sou quem me fazem e nada menos!
Dei-me e não me tenho e basta-me, mas...

3 comentários:

NETMITO disse...

EU CÁ SOU MAIS O QUE ME FIZ...


O VISTO É IMPRECISO
ALCANÇA O QUE QUER VER
PROCURA A LONGURA
QUE A ALMA CONTÉM AO SER


E NESTA FORMA VIVA
QUE DA VIDA NOME TEM
SENTIR É VIVER
AMAR É SER ALGUÉM!

)))))))

JoaoDeAviz disse...

nem sempre as coisas correm como se gostaria que corressem, mas nao deixam de ser valorizadas o empenho e o esforço com que se corre em direcçao a felicidade

O Abafador disse...

Creio que está na altura de trocares. Tens mesmo de trocar. Troca de produto. Ou troca de fornecedor. Ou ambos.
Não te posso abandonar meia dúzia de horas...Cruzes