terça-feira, abril 04, 2006

"(...)
Mandei-a inclinar-se sobre a beira da cama, depois puxei-lhe a camisa para cima da cabeça e admirei uma bonita figurinha, nua, até às ligas.
Havia muito tempo que não usava o chicote e agarrei-o com sensação de prazer que sempre assalta um amante da flagelação quando está em vias de avermelhar um roliço e branco traseiro.
Gostava de a ter chicoteado com força, mas reprimi o meu desejo e só lhe dei doze açoites com a força suficiente para fazer parecer um tom rosa-vivo nas bochechas do seu traseiro. Ela contraía-se a cada pancada, mas não protestou e, quando acabei e a fustigar, estava com um esplêndido tesão, por isso estendi-a ao comprido na cama e forniquei-a com grande satisfação. Era uma mulherzinha simpática e uma boa fornicadora, mas já não estava na flor da juventude e calculo que tivesse sido abraçada por muitos homens, não se podendo portanto comparar sob nenhum aspecto com a minha fresca e jovem Frances. (...)"
"Frank e Eu" - Anónimo (séc. XIX)

2 comentários:

nin43 disse...

Pelos vistos esta seria uma daquelas jovens com brilho. :)
Beijos

no name disse...

Tens uma escrita muito ternurenta...rebuscada...efeverscente... pelo que tenho lido nos teus textos noto muito muito amor mas tambem mt magoa..algo te atormenta... desejos, desencantamentos? nao espero jamais resposta... mas permite me: tens alma de "BlueMorpho" tambem...
A Mariposa Azul, muito rara, preciosa, que os coleccionadores queriam caçar...ela de tao preciosa que era e tao importante..defendia-se levando os a loukura ou á morte...ela matou todos eles... depois de se terem extinguido os caçadores ela morreu...
Bem...a historia tem mt mais k isto...keria mesmo dizer-te...Admiro te...