terça-feira, setembro 06, 2005

O Sexo

"...Que ele também fez! Indistintamente: quer com ele, com ela, com ambos... Que ele também fez, sem o saber, talvez; ou talvez não...

Criou o sexo entre eles na primeira vez que tentou evitá-lo... logicamente.
Dessa vez os outros dois não estavam sentados embasbacados em cadeiras, não havia tempestade, mas precisavam já de estar perto e longe e perto de novo. E ele sentiu também essa necessidade - estar perto da vida que não conheceu e da filha que não teve! Então, tentou sair do quarto onde todos existiam (e só aí) - mas não conseguiu, ficou preso à vontade de ficar num qualquer sítio com alguém - fôra para isso que se mudara, depois de ter enlouquecido. Ficou no quarto a ouvi-los. Só a ouvi-los, e no entanto a entrar neles, devagarinho primeiro e cadenciadamente depois, a ficar neles, a gostar deles, a emaranhar-se numa teia de desejo que bem podia ser outra coisa qualquer, que importava?
E como dessa vez não teve medo, não conseguiu dormir.
Mas não precisava de dormir, agora... só de aprender o que era novo... e precisava de pedir que lhe ensinassem se ali havia sonho, e como fazer para sonhar."

"A Maçã de Eva"
ML

2 comentários:

TheVanilla disse...

Neste blog há sempre sonho, mesmo quando se esconde atrás de céus tempestuosos.
Acho que já nos ensinámos algumas vezes como fazer para sonhar.
Conheço quem não precise de dormir... mas decididamente sabe como fazer sonhar e como fazer para sonhar.
A mim não me conheço. Mas quero aprender o que é novo e sonhar: com saltos de páraquedas, músicas do mundo, danças exóticas...

******************************

(juro-te que já tinha lido LOL)

antónio disse...

Mouro. A palavra mouro está na génese da palavra moreno.Aliás, mouro é o homem de tez mais escura. Posso jurar que o comentário anterior é de uma moura. Penso eu de que.