segunda-feira, junho 24, 2013

Estórias na minha história




Há um ano, neste dia, acordei com uma mensagem privada de uma Amiga que sempre tratei bem e que sempre me ajudou também, até ao momento de se afastar sem explicações...
Entre outros dizeres pouco simpáticos, a pessoa em questão desejava que eu "morresse no meu próprio veneno", etc. e eu fiquei chocada e perturbada.

Escravo/a - a delegação total de Poder - A Entrega!

Ao longo dos anos, quase uma década, muitas foram as "entidades" que, depois de se encostarem a mim por interesses vários, trataram depois de me tentar enxovalhar e diminuir. Tenho toda a responsabilidade do que fiz e faço e farei, do que digo, mas não do que cada um interpreta e ajusta às suas "verdadinhas"... No entanto, aprendi devagar a lidar com isso e a perceber que, como recentemente disse um Amigo meu, com pesar - "A Vida é cruel!"

BDSM * Bondage, Dominação/submissão, Sado-Masoquismo

De facto.
E os vários poentes de desencanto ao longo do caminho não nos ensinam nada - só nos tiram forças por desgaste, ou nos fazem investir de raiva. No meu caso, as infinitas tolerância e paciência, o acreditar que o ser humano merece várias oportunidades porque todos somos imperfeitos e errados, não me valeram de muito. E como não é possível provar intenções... que cada um se espoje na sua arrogância e soberba, se lhes dá conforto.

Em dialecto japonês, kenji - símbolo para escravo/a


Pessoalmente, cansei.
São dez anos de investir tudo o que tinha - e não tinha - numa causa, acima de tudo, e nas pessoas com uma afinidade comum, no BDSM e na Comunidade Nacional - palavrões que à época eram malditos e nem sequer tinham espectro. Os "velhos do restelo" investiram em luta feroz contra a "saída do armário" dos BDSMers portugueses, satisfeitos que estavam com os "serões da província", escondidos no recato do lar. Como os casais católicos ( e não só esses) educados a fazer sexo abafado apenas aos sábados, que, nos anos ´70, ainda eram a maioria em Portugal.Ninguém queria mudar nada e, pior, que nada fosse mudado!

Triskel ou triskell * símbolo mundial do BDSM * Três pilares desta filosofia Alternativa * São, Seguro e Consensual

Uma década depois, ninguém se recorda que, então, as pessoas se escondiam e só diziam o nick e mentiam sobre tudo o que lhe era pessoal - legítimo, mas pelas razões erradas. Hoje, em encontros temáticos, fico pasma a constatar que agora se diz o nome num primeiro conhecimento e "Saber o nick para que? Já disse o nome..." o que me dá que pensar. 

Na vertente Gor (inspirada nos livros ficcionados de John Norman) - a kajira é a escrava do Senhor

A Comunidade não evoluiu enquanto entidade - é um facto - e os nicks passaram a ser estrelas de cartaz consoante o numero de fotos que publicam e de preferência com práticas "muito hard". Fotos! Na época, ai de quem falasse em fotos, que se assemelhava a um Bin Laden de máquina em riste. Também a regionalização no seio da Comunidade, infecção viral terrível, apesar de aparentemente ter sido uma mais-valia, apenas desagregou o que a certo ponto foi conseguido. Mas "crise oblige" e, se serve a todos...

"Apesar de ser um cavalheiro, não significa que não te espancarei..."

Tal como nas mudanças de regime político, as transições são sempre complicadas e raramente bem conseguidas. Do Fascismo para a Liberdade, do Comunismo para o Capitalismo, ou do BDSM Nacional escondido atrás dos panos para figura de proa de leviandade, vaidade e protagonismo! Sinais dos tempos? Ou a Liberdade já não é um pau de dois bicos? Ou o auto-respeito desapareceu, em tópicos mais que estafados e repetidos sobre temas que muitas vezes nem são bem fundamentados, por desconhecimento...?
Farta de matutar em tudo isto e de não gostar do que vejo, decidi observar durante o último ano. E doeu... 

O Dono e quem pertence a alguém.


Quando meia dúzia de pessoas acreditaram que valeria a pena "dar um abanão´" na poeirenta fórmula do recato e vergonha, há dez anos e até antes - um a_Badboy irreverente e virtualmente pioneiro do espírito de união, um Jack Nitto que pela primeira vez aparece a dar a cara num programa da RTP e sofre consequências pessoais e profissionais, um Erothiko e ADG (e várias equipas) com as The Gathering Parties, as primeiras Festas 24/7 (homenagem ao Dia Internacional do BDSM) pela mão do DomSádico e a sucessão lógica com o Projecto Dominium - em várias frentes e sempre visando alertar os beginners/iniciantes no que se poderiam estar a meter e os escolhos do caminho - toda esta gente e com muita ajuda de terceiros, permitiu que, hoje, em sites internacionais de renome a Comunidade BDSM Portuguesa tenha representação, sem medos.

Dominador e submisso/a.


Desde então, as iniciativas floresceram e tudo pareceu mais fácil - como o ovo do Colombo - e, felizmente, a tendência não será o retrocesso, apesar de se terem perdido muitos valores e "causas" em prol da identidade pessoal.
Não pretendo que me dêem razão, não o espero e não me interessa muito. Pessoalmente, já fiz a minha parte no que toca à Comunidade BDSM Portuguesa, sem arrependimentos e sem lamentos.
A História está cheia de estórias que só ganham valor à luz da época e com o preciso enquadramento, donde raramente as leituras e juízos são isentos - seja a História do Mundo ou a do BDSM Português.

Skydomme & bondarina * Junho 2013

E por tudo isto e também pelo que não disse, pela minha vida pessoal que descurei no entretanto, pelos muitos abusadores que se aproveitaram de mim para serem, hoje, "anjos" sem aura nem mácula, pelo que não fiz ainda e vou fazer, preciso de espaço e isenção - donde abandonei o Fetlife e o Facebook e matei a bondarina pública.
Excepção feita neste meu canto de que tanto me orgulho, e onde quem merece será sempre bem-vindo!

O animal de estimação.

Senti necessidade desta explicação, devida ao carinho que muitos ainda hoje me demonstram, pelo facto de hoje ainda me dizerem "toda a gente sabe quem é, muito gosto em conhecê-la" e prevalecer uma frase que sempre me arrepiou mas era simpática "ah, a famosa bondarina"...


bondarina 2013 * Espaço Vénus
Pelo legado que, de algum modo, penso ter ajudado a criar,   e pela responsabilidade que ainda assumo em particulares, peço desculpa a quem acha que os traí nesta saída de cena. Continuo cá e usem e abusem do telemóvel e do email... De facto, agradeço a todos os Amigos nesses dois espaços virtuais a compreensão necessária, com a certeza, porém, de que não há nenhum funeral....

Bute lá começar uma nova estória na minha história!
A quem puder interessar.....

4 comentários:

Vadia disse...

Olá. Como eu te percebo...
A vida é cruel sim. Feita de ilusões e desilusões. Quando menos esperamos, levamos com a mesquinhez e maldade de pessoas que achávamos que pelo menos nos respeitavam

Tenho pena que tenhas saído. Mas sabes quem sou. Se quiseres ou precisares, há telefone e mail :))

Desejo-te o melhor no teu novo caminho

Todos temos o direito de procurar a nossa felicidade, esteja ela onde estiver.

Beijinhos

Miss Lu disse...

Obrigada, de verdade.... :)
Sei quem és sim e tenho o teu tlmv e suponho que tenhas o meu. Dispõe, que para os Amigos tenho sempre tempo :)

Email: evanoeden@gmail.com

Boa semana e bisous*******

Carla disse...

...Entendo, e não muda de figura por estes lados. Trata-se a meu ponto de vista uma fase "de circo" em que muito pouca importam as pessoas, e valor se dá ás marionetes. Importante? Olhar para dentro e perceber que se é genuino, com muitos ou poucos defeitos, com um feitio e personalidade, que nos distinga. Nao ser mais um no meio da festa de S.João e nao ser mais uma boneca a passear os seus folhinhos em festas A'Monte...
Temos sorte ou azar? Há males que Vêm a bem...

Felídeo disse...

Embora tenhamos andado prosaicamente afastados, estou atento e lamento que a tua atitude apaixonada atraia agressões.

Também lamento outros fins, principalmente, do "projecto dominium".

Como dizia Rita Lee: Xa pra la

Beijos
Felídeo