quarta-feira, julho 13, 2005

Acabei de dizer adeus...!

Estive no IRC mais cedo, e alguém me perguntou o que era um blog e para que servia... A rir, respondi que era um afagador de egos! Ninguém escreve para não ser lido e, se se puder ler os comentários, melhor ainda.

Este blog mudou a minha vida!
Foi prenda de aniversário de dois grandes amigos, há um ano atrás, e desde aí nada foi com antes... para o Bem e o Mal!
Começou sem direcção e alimentava-se a si próprio com pequenos textos tímidos recolhidos aqui e ali. Aconselharam-me a criar um "fio condutor"; ri-me! Devagar, a orientação surgiu sózinha...
Dava os primeiros passos no IRC e na net, e aqui podia comentar e desabafar sobre o k me ia na alma. Nunca pensei que mais de umas vinte pessoas me lessem - mas a verdade é que muita gente aqui vem regularmente e me procura e comenta o que escrevo. Sem pressas, este blog fez-me perceber que eu não estava sózinha.

Este blog mudou a minha vida!
Se no início se auto-alimentava, passou a exigir que o acarinhassem e lhe dessem alimento. Os comentários dos passantes abriam lugar a especulações e desvios - faziam-me pensar! Mesmo que quisesse, já não era possível desistir - este blog ganhou vida própria! Trato por tu muitos dos nicks que aqui comentam posts desde o primeiro dia, sem nunca os ter visto; conheço-os como carentes de letras e ideias, mas não só... Estou convencida que a maioria das pessoas que aqui vem, procura os sentimentos escondidos nas letras. Como nos livros! Nos filmes! A projecção é real! A arte imita a vida!

Há um grande clã por detrás de um computador, que todos os dias entra aqui e me pergunta pela família, pelo cão ou o que jantei... Um grande grupo de amigos e conhecidos que se preocupa, que manda sms e telefona depois de ler posts carentes, depois de me ver triste numa citação... É assim que se muda a vida das pessoas! Ninguém escreve para não ser lido! Pessoalmente, guardo tudo o que escrevo - não se corre com um filho de casa! Mas há contrapartidas - já perdi gente que pensava estar comigo incondicionalmente, por ciúmes de escritos dedicados a outrem, ou pela ausência de escritos dedicados a si! Não falamos dos quinze minutos de fama do Warhol, mas da imortalização num texto que fala de nós, suponho eu... Todos queremos ser heróis, nem que por apenas um dia (David Bowie), nem que sejamos anti-herois... porque a verdade é que toda a gente quer fazer a diferença no Mundo.

Fui coerente toda a minha vida e sempre sofri por isso! Paga-se um preço demasiado elevado por se ser coerente - é uma prisão que engana. Por fora não tem grades, mas vista de dentro não tem saída... Nos últimos anos descobri que ser coerente não significa cumprir as regras à risca, mas sim adaptá-las a cada circunstância, sem lesar ninguem; à custa disso, já me chamaram hipócrita, mentirosa e até falsa...
Somos todos fantasmas aqui neste circo máximo criado a corrente eléctrica; ninguém me conhece, mas há coisas que nunca fui e que nunca serei! Outras que serei sempre. E continuo a pagar o preço.
De lágrimas nos olhos!
Porque este blog ainda muda a minha vida!
Todos os segundos!

4 comentários:

baunilha disse...

Cara ML,
Faço parte do grupo dos 20 ou 30 que cá vêm regularmente, que fica a reflectir sobre as tuas citações, que se entristece com as tuas mágoas,... mas nunca deixei comentário.
Não venho por me sentir "carente de palavras e de ideias", mas por me identificar com a pessoa por trás dessas palavras e ideias. Por isso prefiro os textos que escreves, aos que transcreves ;)
Beijos.

Anónimo disse...

Sempre pensei que o grande e elevado privilégio, alívio e conforto da amizade era de não termos de explicar nada. Se os amigos que julgavamos incondicionais nos abandonam por ciúmes daquilo que escrevemos ou não escrevemos acerca deles, é porque nunca o terão sido ou porque haverá razões que a própria razão nos esconde.
Porque os verdadeiros amigos são aqueles que sabem que quando fazemos figuras de parvos não o somos sempre, nunca deixes de pensar que o verdadeiro amigo é aquele que se aproxima quando o resto do mundo se afasta. E, quando fizeres alguma coisa errada ao menos diverte-te a fazê-la.
Beijos
Da_

MissLibido disse...

"Perder não é uma vergonha - é a certeza de que se arriscou tudo!"

ML

Anónimo disse...

Minha querida AMIGA,

Já são muitos anos de amizade com muitas lágrimas e risos trocados. Entre aproximações e afastamentos, muitas concordâncias e tantas discordâncias, sempre uma certeza: estás sempre comigo e eu contigo. A inabalável certeza de que a nossa amizade é PARA SEMPRE porque temos a coerência de não esquecer NADA, mas especialmente de não esquecer quem amamos. E eu amo-te.

Os amigos não têm de facto que explicar silêncios ou ausências, mas como são AMIGOS, explicam.

A tua baunilha.