sexta-feira, fevereiro 15, 2008

...Contos de S.Valentim...

Há um momento em que cheguei, e um momento em que fiquei.

Um momento de partir e não querer ir.

Há dias que passam e não se quer estar neles, há dias que ficam e não se quer que acabem, como a magia de um carrocel cheio de luzes, cor e movimento e som.

Há alegria em chegar, e tristeza em partir, o que é ridiculo, pois não se sente tristeza de coisas boas e não as perdi para tal sentir.

Na cabeça, a mala por fazer, a viagem por percorrer, a ausencia que se sente prematuramente, mas acima de tudo os momentos que se viveram, unicos e ricos, belos por serem o que foram e assim ficar. Se calhar melhores, pois o tempo e o recordar melhoram a beleza das coisas e atenuam arestas.

Quero deixar de mim tanto quanto possa e levar o mais que consiga, na minha bagagem de viajante.

Quero sentir o peso da tua alma leve, e o canto que dela sai, e se ela couber no meu saco, lá ficará, e, nos momentos de solidão e tristeza, abrir o fecho e espreitá-la, pegá-la nas mãos e senti-la.

Olhá-la e sorrir e afastar a tristeza assim...................................



Sim, as férias acabaram, e do receio da bondarina_MA de não me ter satisfeito, pensei e saiu o que acima escrevi.

Foram 15 dias quase em que me senti em familia, e a viver em familia. Com alguns percalços pelo meio, como a formatação deste PC, que me ia dando cabo da cabeça, e que se não fosse a ajuda paciente do Miguel, estaria na mesma. Pelo meio foram conversas com visitas e material adquirido, fotografias tiradas e jantares. Oxalá se repitam muitos mais, António e Sandra, bem como as conversas com o Pedro e a Nina ou com a Silvia e o Américo.

Mas mais que tudo isso, os passeios a pé, as brincadeiras com o cão da bondarina, as fotos tiradas, a ida a Fão, a Vila do Conde, as conversas e os silencios com a bondarina, os momento passados juntos.

De facto acabo as férias sem vontade de acabar, e com vontade de regressar tão cedo quanto possivel ao mundo que é meu tambem: a minha escrava é um mundo meu!

João De Aviz





Sofri recentemente uma operação rotineira à mão esquerda e nao está ainda a 100%... Receava não poder servir o meu Dono em matéria e substância, quer na lida da casa, quer no acto de submissão que lhe ofertei há mais de meio ano... Pelo meio, um esgotamento e comprimidos que me tornam instável na insegurança e tristeza que às vezes me assolam. Tinha muito medo que, a dois, em verdadeiro 24/7, isso estragasse as expectativas de ambos.

De tudo aconteceu um pouco, além de pormenores e inconvenientes inesperados que nos tiraram Tempo e, às vezes Vontade, mas não o resto - a consensualidade.

Mas se isso aconteceu e foi "prova superada", deve-se inteiramente à paciência interminável do meu Dono, à sua experiência de vida que os anos e cabelos brancos lhe deram - a postura e o estar e o saber de um verdadeiro cavalheiro/Dominador.

A ele, agradeço.

Hoje estou angustiada e há minutos chorava nos braços dele.

Disse-lhe: "É a primeirra vez que me vai custar imenso levá-lo ao comboio!" e é a pura verdade. Quando se deixa de estar só e se perde a liberdade, depois não se sabe como viver com ela pela trela. Eu não sei!

Tenho consciência que o meu Dono tem de seguir viagem e fazer a sua vida, mas com ele vai uma parte da minha, grande, que é dele e Ele!

O resto?

Momentos lindos e sorrisos e gargalhadas.

Mar e céu e sol.

Comida que nos toca o céu da boca - qualidade de vida e objectivos - a dois...

Valeu a pena!!!!

Tenho saudades do minuto que acabou de passar.

Eu fico aqui!

bondarina_MA

1 comentário:

Dominador1960 disse...

Os Vossos comentários sobre este tempo de Férias juntos, são do mais Belo e Nobre, que li...( e passe a imodéstia,,,,eu já li MUITO mesmo).
Se alguém tiver dúvidas, sobre como expressar um Hino ao AMOR, e Entrega, basta tão somente ler o que ambos,de forma tão Sublime e de inigualável partilha com Vossos Amigos e demais leitores, escreveram.
Bem Hajam por isso. Pela Felicidade que sentem, e pela enorme dádiva de partilha que nos transmitem.
OBRIGADO por essa Lição.