segunda-feira, janeiro 15, 2007

EXPOSTA!!!!!!!!!!!

Começo por pedir desculpa pela ausência, mas à medida que os anos passam, os dias parecem ficar mais curtos e mais preenchidos por mil e uma coisas...
Comigo, muita coisa tem acontecido e pouco tempo resta para o que muitas vezes acaba por ser o mais importante - partilhar!
Quem vem a este blog há anos sabe que acredito na partilha e que sempre tentei manter um fio condutor coerente, o que volta a acontecer agora.
Vou partilhar um momento especial na minha vida de submissa com Dono...

Tive uma Passagem de Ano diferente e especial.
Noutras, assisti a práticas BDSM "públicas" (em círculo de amigos); nesta, estive no centro do círculo, a servir orgulhosamente o meu Mestre.
Confesso que receei durante anos este momento, porque nao é do meu feitio ser exposta publicamente em BDSM, mas tenho de admitir que sempre desejei ultrapassar essa fronteira entre a timidez e o medo de ser olhada pelos presentes - coisa minha desde criança...
Mas também soube sempre que mais que o "medo" é a ideia do medo que nos apresenta os fantasmas pela mão e nos faz tremer, e também sempre tive consciência que algué,m um dia, ao apresentar-me o facto e não a teoria, conseguiria desinibir-me...
E aconteceu, e foi simplesmente fantástico e não tive qualquer medo ou receio ou pudor, porque no momento estive apenas com o meu Mestre, em entrega dirigida e consentida.
Se alguém pensa que é possível descrever o que sente uma submissa ao ser o alvo das atenções "públicas" porque nas maos do seu Mestre, desengane-se; é algo forte, íntimo, pessoal e indescrítivel - é quase ser "heroína" num momento referenciado no Tempo. Ser tornada especial ao dar tudo ao Mestre, fazendo-o especial nessa entrega...
Deixamos de ser "two lost souls swiming in a fish bowl" (Pink Floyd) e tudo passa a fazer sentido - aquelas pessoas, aquele momento, aquele espaço, aquela janela na vida - um "instantaneo"da alma, ou das almas, porque somos dois a dar e a receber...

De dentro da minha jaula de devoção, levantava os olhos devagar, a subir, na direcção do Mestre...
Não estava sózinha, mas encontrava-me na espiral de duas entregas, animal enjaulado na minha escolha primeira...
Pela trela, em silêncio, sem estretor nem pensamentos, levitei de dentro de mim até às mãos confortadoras do Mestre, e deixei-me ir. Cresci, a imaginar como a plateia nos olhava enquanto Mestre e marioneta, pois os olhos estavam cegos pela vontade do Mestre...
Confiei nele, sem uma palavra antes, que indiciasse que me mostraria exposta aos olhos famintos de uma inveja saudavel...
Fiquei amarrada ao desejo do Mestre e a outro submisso pela mao da sua Senhora, e só ouvia o bater do coração dele no peito, que ecoava das batidas do meu...
No fim, mais crescida, mais exposta e mais submissa, o Mestre fez-me ajoelhar a seus pés, pela trela, e acariciava-me a cabeça, cansado mas firme. E eu fiquei ali nos seus joelhos, entregue, feliz e a sentir-me mais sua como nunca antes!
BDSM é isto - adultos a crescer na palma das mãos, em silencio...



1 comentário:

boundslave disse...

Adorei!!
Sabes.. falaste aqui de algo com que ha muito sonho e penso.. adorei ler este teu post!;) .. e, claro foi fenomenal a referencia aos Pink Floyd! eheh ;p

Parabens pela inesquecível passagem de ano ;)

beijos:)