segunda-feira, junho 06, 2005

A LUA QUE DESPE AS NUVENS...

E o vento.
Leve rocegar da seda
contra os seios.
Virgem e velhaco,
a impôr-se como um tirano.
A discutir com a lua.
E a lua a adorar,
despindo as nuvens sem pudor!
O sexo.
O prazer.
A noite.


Dezembro 2002
ML

2 comentários:

Paterlomio disse...

As leituras podem ser múltiplas, o que é, sem dúvida, muito conveniente. Mas porque é que deixaste de andar nesse autacarro? De quantas coisas mais tencionas fugir por estares só, isolando-te ainda mais? Se a cada acção não corresponder uma reacção, então não há união que seja suficiente.

MissLibido disse...

1)União implica mais do que uma pessoa
2)Pode-se estar só no meio de uma multidão
3)Reagir pode ser apenas mudar de transporte
4)"Fugir" é apenas um conceito, porque enquanto vivos, não há NADA de que se possa fugir... excepto da própria vida!

* ML