sexta-feira, março 30, 2012

A História das Tatuagens


Uma Breve História Da Tatuagem



"Se formos procurar nos anais da História uma referência para o surgimento desta arte nas sociedades humanas nada será encontrado. A história da tatuagem se confunde com a própria História humana.

É através da arte da pré-História que podemos encontrar alguns vestígios da presença de povos que cobriam o corpo de desenhos. Nas pinturas deixadas nas cavernas podemos encontrar desenhos de formas humanas que por si detinham desenhos no corpo, indicando assim a possibilidade de que esse povo se tatuasse.

Sob a mesma analogia se pode encontrar de povos pré-históricos estatuetas que tinham desenhos e símbolos em seu corpo, também podendo indicar indícios de tatuagens. Nos escritos antigos a presença desta arte também é marcante. O historiador Heródoto, que é considerado o pai da história, chegou a citar em seus livros a existência de um povo muito antigo que seria nativo do norte da Europa e que tinha como costume a pintura corporal de forma definitiva, eles eram chamados de pictos, e como eles alguns outros povos da antigüidade também se tatuavam.


A prova realmente concreta e indiscutível de que a arte da tatuagem acompanha o homem desde o seu surgimento ( porque até aqui só havíamos citados indícios) são as múmias.


A múmia mais antiga do mundo, que foi encontrada por turistas na Itália e que data de 5.300 anos antes de Cristo, se encontrava congelada em um bloco de gelo e tinha tatuagens acompanhando toda a espinha dorsal, além de uma cruz numa das coxas e desenhos em estilo tribal por toda a perna. A segunda múmia mais antiga do mundo é de uma princesa egípcia e esta detém em seu ventre um grande desenho em forma de espiral que os estudiosos relacionam com rituais de fertilidade.


Se a tatuagem é tão antiga quanto a própria humanidade, como a ciência explica o desejo do homem de se escarificar; ou seja machucar-se, em nome da arte. Na verdade, antropólogos e sociólogos estão unidos na hipótese de que no principio o homem não começou bem com tatuagens. Eles explicam que provavelmente o homem primata, algum ferimento de caça ou mesmo de guerra, fez com que gerasse nesse homem um sentimento de orgulho e até mesmo uma certa forma de status e diferenciação de força no seu grupo. A partir desses ferimentos involuntários e
da sensação que eles causavam, o homem primata começou a se escarificar de forma voluntária fazendo eles mesmos os ferimentos no corpo que, com o passar do tempo, foi dando espaço para a criação de desenhos e o uso de tintas vegetais e espinhos para introduzir esta tinta na pele. Depois deste inicio um tanto quanto
egóico as diferenças etnias começaram a se tatuar por motivos espirituais, em rituais de diversas espécies e fins, para a guerra o outros mais.
Durante a Idade Média, os portadores de desenhos no corpo foram brutalmente perseguidos pela inquisição . Os motivos dessa perseguição é que na maioria dos escritos bíblicos os profetas eram identificados por marcas no corpo e como a Igreja que estava a serviço dos grandes senhores feudais queria acabar com os
redentores do povo perseguiu duramente os tatuados que eram chamados de bruxos e que suas tatuagens representavam pactos com forças demoníacas. Essa perseguição da Igreja durante algumas dezenas de anos e os diferentes povos foram assimilando essa perseguição como autêntica e hoje em dia os reflexos dessa perseguição religiosa foram transferidos para uma perseguição social onde o preconceito faz com que as pessoas que são tatuadas sejam descriminadas como verdadeiros marginais e que são potencialmente nocivas a sociedade.

Actualmente o berço da tatuagem moderna é considerado como sendo a Indonésia. Até mesmo o nome inglês TATTOO é uma referencia onomatopeica (dos indonésios) ao barulho que é produzido pela sua técnica de tatuar ( tatau,tatau,tatu...)
Actualmente na vanguarda da tatuagem podemos encontrar uma diversidade enorme de tatuadores com seus diferentes estilos e uma infinidade de motivos a sua escolha.

ALERTA: Ao decidir se tatuar procure um profissional que lhe dê segurança e trabalhe dentro dos padrões de higiene, e que além disso lhe ajude a amadurecer a idéia para que depois não ocorra arrependimentos."


Júnior Animal (tatuador e estudioso da arte)

http://freedom-tattoo.tripod.com

                                        * * *



"Rebeldia, personalidade, História.
Essas podem ser uma das poucas palavras que podem definir o significado da tatuagem entre nós. No contexto da sociedade contemporânea, o individualismo induz muitas pessoas a fazerem de sua pele o local do registro de idéias, valores ou da simples vaidade. Um dos mais conhecidos registros que se tem sobre as tatuagens é do capitão inglês James Cook, quando o mesmo tentava entrar em contato com os nativos do Taiti. O povo daquela região designava o hábito de pintarem definitivamente a pele de “tatau”, por conta do barulho produzido pelos instrumentos utilizados na confecção de suas tatuagens. No entanto, não podemos dizer que eles foram os primeiros a desenvolverem esse tipo de hábito. O homem de Ötzi, com cerca de mais de 5300 anos, fazia inveja a qualquer aficcionado por tatuagens dos dias de hoje. Em seu corpo foram encontradas mais de cinqüenta tatuagens que, de acordo com alguns estudiosos, tinham significações religiosas.


A prática da tatuagem também foi registrada entre os egípcios e os pictos, uma civilização antiga do Norte da Europa. No Brasil, diversas tribos indígenas traziam tatuagens pelo corpo. Os waujás e os kadiwéus são alguns dos povos indígenas que utilizavam da pintura definitiva para expressarem rituais de passagem e reverência a alguns elementos da natureza. Apesar da existência da tatuagem, esse hábito não se popularizou por conta das culturas indígenas.

Foram os marinheiros ingleses, por meio do contato com os polinésios que difundiram essa prática pelo mundo. A reprodução de feras do mar, caveiras e embarcações demonstravam as aventuras desses homens que se lançavam pelo mar. Sendo os mesmos sujeitos de pouca condição financeira ou influência social, fizeram da tatuagem algo popular entre os guetos, prostíbulos e tavernas freqüentadas pela “escória”, ou seja, desocupados, lutadores de rua, criminosos e prostitutas.
Esse tom marginal dado à tatuagem também fazia com que corpos tatuados fossem presença garantida nas atrações circenses dos chamados freak shows. Foi somente na segunda metade do século XX que a tatuagem incorporou os ideais da cultura ocidental. O seu tom contestatório ultrapassou barreiras tornando-se um símbolo de ousadia e personalidade.

Motivações íntimas, delicadas e suaves também incorporaram o mundo das tatuagens. Homens e mulheres de mais idade hoje também tatuam seus corpos. Ela deixou de ser um item exclusivo de uma cultura jovem para tornar-se uma via de expressão da subjetividade."

in http://www.historiadomundo.com.br


                                            * * *

"Há mais de 3500 anos atrás, a tatuagem já existia como forma de expressão da personalidade ou de indivíduos de uma mesma comunidade tribal (união de pessoas com as mesmas características sociais e religiosas). Os primitivos se tatuavam para marcar os fatos da vida biológica: nascimento, puberdade, reprodução e morte. Depois, para relatar os fatos da vida social: virar guerreiro, sacerdote ou rei; casar-se, celebrar a vida, identificar os prisioneiros, pedir proteção ao imponderável, garantir a vida do espírito durante e depois do corpo.

Na era Cristã, na clandestinidade, sob o jugo do poder pagão, os primeiros cristãos se reconheciam por uma série de sinais tatuados, com cruzes, as letras IHS, o peixe, as letras gregas. Na era moderna, a tatuagem passou por vários anos de marginalidade. Ela retorna a ser questão de relevância em nossa sociedade quando surge em artistas de música, cinema, e em pessoas comuns.

Deixando de ser um símbolo de marginalidade, e sim uma forma de expressão individual de arte e estética do corpo, a tatuagem não é mais tosca como as de cadeias, e sim um desenho de traços mais finos e cores variadas.

No Brasil, o precursor da tatuagem moderna foi um cidadão dinamarquês chamado Knud Harald Lucky Gegersen, conhecido popularmente como Lucky, ou Mr. Tattoo. Chegando por aqui em 1959, Lucky se estabeleceu em Santos-SP, utilizando seu talento e suas técnicas de desenhista e pintor profissional.

Lucky teve uma participação real no mundo da tatuagem brasileira. Os tatuadores chegam a dizer que por mais imperfeita que seja a tatuagem de Lucky, ela vale muito, pois foi graças ao dinamarquês que o Brasil entrou no mapa da tatuagem moderna. Lucky foi notícia em vários jornais, e em 1975 o jornal O Globo o considerou o único tatuador profissional da América do Sul, sendo sua morte noticiada no Jornal 'A Tribuna" de Santos do dia 18 de dezembro de 1983. Por um bom tempo Lucky continuou sendo o único, até que começaram a aparecer, aos poucos, os seus seguidores, que herdaram dele as técnicas e a arte de fazer tatuagem.

Apesar de toda sua história, o conceito de origem independente se adequa a tatuagem, pois ela foi inventada várias vezes, em diferentes momentos e partes do Mundo, em todos os continentes, com maior ou menor variação de propósitos, técnicas e resultados.

Os Tipos de Tatuagem
Tradicional (tatuagem de marinheiro): São aqueles desenhos tradicionais, como uma âncora ou uma gaivota, aliás, os marinheiros foram os grandes divulgadores da tatuagem pelo mundo.
Sumi: técnica oriental que utiliza bambu au invés de agulha. Geralmente os desenhos são ricos em detalhes.
Realista: desenhos que imitam o mundo real, como mulheres, pássaros e personalidades.
Estilizada: como o próprio nome já diz, são desenhos estilizados.
Alto relevo: muito difundida entre os índios. A pele é dissecada formando desenhos com uma infinidade de cores, praticada principalmente por aborígenes, de origem africana.
Belfaro Pigmentação: a maquiagem definitiva, como delineador, batom, etc.
Celta: desenhos de origem celta com figuras entrelaçadas. Pode ser preta ou colorida.
Tribal: desenhos em preto ou coloridos com motivos tribais. Podem ser desenhos de tribos norte-americanas, haidas, maias, incas, astecas, geométricas ou abstratas.
Oriental: trabalhos grandes, geralmente de corpo inteiro, como um painel. Os desenhos são com motivos orientais, como samurais, gueixas e dragões.
Psicadélicas: trabalhos supercoloridos com desenhos totalmente senseless.
Religiosas: trabalhos com personagens bíblicos, como um santo, uma cruz, etc.
Bold line: desenhos das histórias em quadrinhos com traços bem largos e cores berrantes.
Branding: tatuagem marcada a ferro e fogo.


 


Como São Feitas as Tatuagens
  • As tatuagens são feitas com pigmentos importados de origem mineral, principalmente, e com agulhas específicas para tatuar, sempre descartáveis e nunca reutilizadas (mesmo que seja na própria pessoa).
  • As máquinas elétricas, preferencialmente, devem ter a ponteira de aço inox cirúrgico e/ou descartáveis, devem ser limpas por ultra som e esterilizadas com estufa a uma temperatura igual ou superior à 170 º C por um período de pelo menos 3 horas.
  • Os aparelhos de barbear utilizados para depilar o local da tatuagem não devem ser reaproveitados.
  • O tatuador deve usar luvas e máscara para procedimentos, para evitar uma possível infecção ou até a contaminação por doenças como hepatite, AIDS, tuberculose, esporos patogênicos, bactérias e fungos.
  • A limpeza do ambiente é fundamental afim de se evitar a contaminação cruzada.
A arte é conseqüência de tudo que o tatuador aprendeu durante anos, este, deve ter pelo menos, a experiência de 5 anos."

In "A História da Tatuagem - Biografias"
 
 


 * * *

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.