quarta-feira, dezembro 26, 2007

ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!



ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!


ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!


ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!



ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!
ADORO-O, MEU DONO! ADORO-O, MEU DONO!

2 comentários:

JoaoDeAviz disse...

gostei e quero mais :)

Walter_ego disse...

Giro, giro era escrever isto numa resma de papel A4!

Já agora existem folhas destas pautadas para treinar a caligrafia, sim que fica muito mal uma sub com uma letra medonha, e para tornar o desafio interesante era escrever ao contrario

kiss kiss
:)